quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

... saudades

Saudade fruta amarga
às vezes pode ser doce
nasce regada pela ausencia
cresce adubada pelo tempo
rapidamente, feito praga
mas pode ser rapidamente dizimada
agoniza quando colhida por abraços
morre vitima de longos beijos.

5 comentários:

Parreira disse...

"morre vítima de longos beijos"!
Sinceramente, a tua poesia tá ficando afiada.

Grandes abraçus, Celsus!

Thamara disse...

Olha só! Não sabia de todo esse talento em poesia! haha Parabéns! Bem bacanas!

Thamara

Maiaty disse...

"morre vítima de longos beijos"

gostei!
escreva mais, maninho... kisses...

Juliana Negri disse...

Lindo demais, e quem não quer morrer vítima de longos beijos?!

Anônimo disse...

Olá, Celso.
Tomei a liberdade de copiar essa sua linda poesia. Leio sempre seu blog todo porém esta me indentifico demais e por mais que eu leia todas sempre preciso aquietar minha saudade com esta em especial.
Obrigada e um excelente 2011.
LFW